domingo, 15 de maio de 2011

FILHINHA DE PAPAI ENFORCA NAMORADO NO MOTEL COM UM CINTO

Jovem enforca namorado com cinto em motel de Niterói

Verônica Verone, de 18 anos, depõe em delegacia sobre assassinato de namorado em motel 



Iniciado há cerca de dois anos, o relacionamento entre a estudante Verônica Verone de Paiva, de 18 anos, e o empresário Fábio Gabriel Rodrigues, de 33, acabou, na madrugada deste sábado, de forma trágica, quando ela matou o companheiro num motel em Itaipu, Niterói, enforcando-o com um cinto. Na 77ª DP (Icaraí), Verônica — uma jovem loura de classe média — disse que Fábio teria tentado estuprá-la. A vítima era dona de um lava-jato em Itaipuaçu (Maricá), onde morava.
Verônica contou que os dois tinham uma "amizade colorida". Segundo ela, Fábio havia ligado, bêbado, de madrugada, dizendo que estava passando mal. A jovem foi buscá-lo no bar, mas, no caminho para a casa dele, Fábio teria pedido para comprar drogas.
Segundo a delegada adjunta da 77ª DP, Juliana Rattes, depois de adquirir cocaína e maconha, por volta de 1h, os dois partiram para o Motel Status, em Itaipu. Verônica disse que somente ele consumiu as drogas. Logo depois, ele teria tentado estuprá-la. Num acesso de raiva, Verônica o enforcou, embora tenha dito que não teve a intenção de matá-lo.
— A história está muito mal contada — disse a delegada.
Verônica arrastou o corpo escadas abaixo, até a garagem privativa no motel. Às 6h, a estudante saiu do local, na picape do companheiro.
Logo após o corpo ter sido descoberto, a administração do motel recebeu uma ligação, feita pela irmã de Verônica, perguntando se Fábio já tinha sido socorrido. A chamada foi identificada, e a polícia entrou em contato com Verônica, pedindo que ela fosse à delegacia. A estudante chegou para depor por volta do meio-dia, acompanhada de um advogado. Ela afirmou que sofre de Síndrome do Pânico e está fazendo tratamento psiquiátrico.
A jovem foi indiciada por homicídio e tentativa de ocultação de cadáver. Depois de fazer exame de corpo de delito, foi liberada e responderá em liberdade. Nos próximos dias, parentes da vítima e funcionários do motel serão ouvidos.

Um comentário:

Anônimo disse...

:/